Quem sou eu?

Hoje minha vaidade cresceu de posto, não me preocupo tanto com os anos que se passaram, nem com o peso extra ganho (na verdade vários quilos) , pois não preciso disputar um peito mais lindo nem uma forma exuberante,”porque EU sou exuberante.” Hoje encho mais o coração do próximo do que seus olhos. Que vida maravilhosamente rica eu tive e tenho. Cheia de lutas, limitações vencidas, metamorfose constante. Ontem eu me achava borboleta, que bobagem... Era uma simples lagarta. Hoje sim sou uma borboleta em pleno voo, sabe , aquelas enormes coloridas, incapazes de passar desapercebidas. Perguntei-me por muito tempo porque uma descoberta tão tardia de si própria. Hoje sei a resposta... Amo ao DEUS que mora dentro do meu próximo e faço tudo que está ao meu alcance para que glorifique a SUA Unidade , prestando o mandamento maior que é imposto na sua lei “AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS”...Então, hoje estou amando cada vez que dou tudo de mim pelo próximo engrandeço a obra maior do meu DEUS...

Vaidade? Tenho. (de ser tão pequena aos olhos dos homens e tão importante aos olhos de DEUS)

Coragem? Muita.(não temo me desnudar a alma de forma humana, e mostrar que nunca se é tão pouco que não se possa dar, nem tanto que não precise receber)

Sabedoria? Um pouquinho em doses homeopáticas (porque todos os dias aprendo novas facetas da vida)

Sensualidade? Conservo (quando alargo o sorriso, mediante o perigo, quando mostro que entre dois seios bate um coração cheio de amor fraterno e comprometidamente descompromissado)

Guerreira? ATÉ MORRER. (porque em cada luta ganha a glória a experiência obtida, em cada derrota a certeza de que devo dar a recuada estratégica e investir com carga máxima rumo ao alto e em frente...

Esta é Marilda Amaral, uma gaúcha de 59 anos, mãe de dois filhos, casada com a responsabilidade e a grandeza de viver.

http://cantoverso.blogspot.com/2011/11/um-poeta-surfando.html


sexta-feira, 29 de junho de 2012

Pensando bem....






A cada dia que passa mais e mais me pego presa a metáforas tecidas na roca da vida.  Um dia ela tece um pequeno tapete de generosidade e me coloca frente a frente com o descaso do todo e isso faz em mim um grande estrago, em outros momentos vejo ser tecida coberta pesada de comprometimento, que me põe na condição de enxerida  e isso me faz rasgar a doçura e me colocar na posição da guerreira que sou e me vejo como uma estúpida. Mas de todos os tapetes que a vida teceu no tear da minha índole o que tem ares de tapete persa tem,  é a coragem, sim coragem de ver minhas fraquezas, reconhecê-las e as transforma-las  em lições de vida.
Não me importo de ser chamada de inábil, quando isso vem de alguém que por falta de coragem, competência ou medo,  acolchoa criticas desumanas , pois isso me dá a certeza de que eu continuo na vida e de forma útil. Não sou de guardar agravos, pois isso envenena a alma e a deixa vulnerável. Nunca deixo de dizer “te amo” seja a quem for, pois amanhã pode ser tarde de mais. Assusto-me quando as pessoas confundem o amor com sexualidade, pois apesar de serem complementos em certos momentos da vida, são antônimas...
O amor é uma espécie de adesivo que aglutina todas as virtudes humanas e quanto mais virtudes tiver mais puro e verdadeiro é este amor.   A sexualidade é um semáforo  da paixão, que muitas vezes cega e confunde a caminhada. Não importa o juízo que façam de mim por enquanto que não me conheçam verdadeiramente, me preocupa saber o que pensam depois da convivência e assim mesmo continuarem jogando pedras sem misericórdia, mas também não fico assim tão melindrada, pois sou do tipo que não revida as pedras, mas as guarda  cuidadosamente para futura construção de fortes muralhas... Enfim esta sou eu, se você acha muito ruim tenho um conselho: seja bem melhor que eu, serei sua fã.
[Marilda Amaral]

Nenhum comentário:

Postar um comentário